Projetos em andamento

Monitoramento da Ictiofauna dos Reservatórios das Usinas Hidrelétricas de Itá e de Machadinho

Os estudos realizados nas áreas de influência dos reservatórios de Itá e Machadinho, na região do alto rio Uruguai (Santa Catarina/Rio Grande do Sul), se concentram na:

  • Avaliação da evolução da comunidade de peixes após a implantação dos empreendimentos, caracterizando o ciclo de vida das principais espécies de peixes; avaliação da ocorrência de ovos e larvas de peixe;
  • Manutenção de um grupo de peixes de espécies nativas ameaçadas de extinção e/ou com potencial para aproveitamento na piscicultura, para fins de manutenção da diversidade genética in vivo e à formação de um plantel destinado à reprodução;
  • Desenvolvimento de tecnologia de reprodução, larvicultura e alevinagem das espécies nativas de peixes, possibilitando a implantação de programas de repovoamento do alto rio Uruguai, caso seja necessário, e o desenvolvimento da piscicultura regional;
  • Criopreservação de amostras de sêmen das espécies nativas de peixes com populações reduzidas e/ou passíveis de uso na piscicultura, formando um banco genético in vitro e
  • Avaliação da produção pesqueira nos reservatórios.

Status de conservação de peixes migradores do médio alto rio Uruguai a partir do recrutamento biológico populacional

O rio Uruguai é um rio de extrema importância para a manutenção de populações de peixes migradores da região, por ser o canal principal de migração de adultos reprodutores, assim como para ovos e larvas. As porções média e alta deste rio passaram a ser foco de interesse do setor elétrico brasileiro pela presença de trechos com inclinação acentuada e corredeiras. Com isso, as populações de peixes que migram neste sistema foram as mais impactadas pelos represamentos, pois os barramentos fragmentaram a conectividade entre habitats que são imprescindíveis para elas.
Este projeto tem por objetivo avaliar o recrutamento de populações de peixes migradores do médio alto rio Uruguai por meio de estimativas de abundância de juvenis destas espécies em um trecho que corta três dos principais tipos vegetacionais do sul do Brasil (Floresta de Araucárias, Campos do Sul e Pampas), para determinar o status de conservação destas espécies na região.

Reversão sexual indireta e cultivo monosexo feminino de jundiá, Rhamdia quelen, em tanques-rede

Como as fêmeas de jundiá apresentam ganho em peso maior que o dos machos, o cultivo monosexo de fêmeas é uma alternativa para o cultivo desta espécie. Este projeto tem por objetivo avaliar o cultivo monosexo de lotes femininos de jundiá, Rhamdia quelen, produzidos com a utilização de neomachos de Rhamdia quelen, que são fêmeas revertidas sexualmente para machos.

Indução do desenvolvimento gonadal do suruvi (Steindachneridion scriptum) por meio de implantes de pellets contendo os peptídeos Kiss1, Kiss2 e LHRHa

Atualmente, as espécies nativas de peixes água doce com potencial para a piscicultura têm merecido atenção por vários grupos de pesquisa no Brasil, entre elas o suruvi ou bocudo (Steindachneridion scriptum) da bacia do rio Uruguai. Estudos sobre o cultivo desta espécie em tanques-rede revelaram que a espécie apresenta grande potencial para piscicultura. Além disso, a espécie encontra-se ameaçada de extinção e apresenta tolerância a baixas temperaturas. Um protocolo funcional para indução a desova por meio de injeções de extrato de pituitária de carpa está disponível para a espécie. Para indução da maturação gonadal e da desova de várias espécies de peixes são utilizados os análogos sintéticos do hormônio liberador de gonadotrofinas (LHRHa ou GnRHa), técnica disponível desde a década de 80.  Atualmente, no entanto, uma nova classe de peptídeos, conhecida como Kiss1 e Kiss2, vem sendo utilizada de forma experimental na indução a maturação gonadal de peixes, por meio da aplicação de pellets ou injeções.
Este estudo tem por objetivo testar esses peptídeos na indução do desenvolvimento gonadal de Steindachneridion scriptum.

Desenvolvimento de procedimentos de melhoria genética dos peixes destinados a programas de estocagem e dos métodos de avaliação dos efeitos da estocagem (PNPD/Institucional)

Este projeto objetiva desenvolver a pesquisa e a formação de recursos humanos na área de recursos pesqueiros, vinculados ao Programa de Pós-Graduação em Aquicultura da Universidade Federal de Santa Catarina. O estudo apresenta dois temas principais, desenvolvidos por pós-doutorandos, um deles vinculado a atividades inovadoras para a avaliação de programas de manejo ambiental associado ao manejo pesqueiro, enquanto o outro, a um programa de pesquisa em aquicultura que possibilite a adaptação das técnicas convencionais de produção das formas jovens utilizadas na piscicultura.

Migração, sítios de desova e desenvolvimento inicial de duas espécies potencialmente migradoras do rio Jequitinhonha: subsídios para avaliação da necessidade de transposição na UHE Irapé

Este projeto busca avaliar a presença de comportamento migratório e identificar locais onde a curimba (Prochilodus hartii) e a piapara (Leporinus crassilabris) se reproduzem e se desenvolvem, com vistas a subsidiar a decisão sobre viabilidade de implantação de sistema de transposição de peixes na UHE Irapé, no rio Jequitinhonha (MG).

A biotecnologia aplicada ao cultivo do suruvi (Steindachneridion scriptum): variabilidade genética, manejo de reprodutores e uso de técnicas de melhoramento genético

Atualmente, as espécies nativas de água doce para fins de piscicultura tem merecido atenção por vários grupos de pesquisa no Brasil entre elas as do gênero Steindachneridion, conhecidas popularmente como suruvi ou bocudo (Steindachneridion scriptum) na bacia do rio Uruguai e surubim do Iguaçu (Steindachneridion melanodermatum) na bacia do rio Iguaçu. Estudos sobre o cultivo de S. scriptum revelam que a espécie apresenta ótimo desempenho para a criação em tanques-rede demonstrando que a mesma possui grande potencial para cultivo. Além disso, é uma espécie com ótima aceitação de mercado e tolerância a baixas temperaturas. Ampliando o conhecimento sobre os aspectos genéticos e biotecnológicos de S. scriptum, como a identificação molecular das espécies do gênero, formação de um banco in vivo monitorado geneticamente, estimativa do número mínimo necessário de reprodutores no plantel, formação de um banco in vitro, indução a triploidia e controle da vitelogênese indoor, será possível desenvolver em longo prazo, medidas para o aproveitamento correto do recurso, com bases sólidas tanto para a piscicultura, quanto para programas de repovoamento e conservação.